Preciso dela tragam ela pra mim
Tenham piedade não me deixe sofrer assim
Ela me mata, mas sou loco por ela
Ela me mata só que eu não vivo sem ela

A pedra é mó b ó não tem pena não tem dó
Os mano fica só o pó joga pra lona sem dó

Sem pedir licença entra em sua vida
Da morada pra tristeza e expulsa a alegria
Faz guerra com o amor complô com o horror
O que era paz e harmonia ela transforma em dor

Desarruma o cidadão sem dó e sem perdão
Deixa irreconhecível até quem é irmão
Muda a rotina muda o comportamento
Us mano dorme de dia passa a noite no veneno

Desconhece a mãe desrespeita o pai
Mulher, filho, família, nenhum valor tem mais
Esquece o estilo anda mal trapilho
E nas madrugadas verdadeiro morto vivo

E se trombar alguém na calada sem chance já era
Roda perde a vida por algumas gramas dela
Pra muitos, simples pedra, pra mim ela tem vida
Tem querer tem poder especialista em armadilha

Vai vendo fiz de tudo pra salvar um truta meu
Queria uma história diferente, mas não deu ela venceu
Ce tinha que vê muleque mó sangue bom
Sempre na dele na moral curtindo um som

Chei dos artigo tinha uma pá de disco antigo
Só andava alinhado tiu sempre no estilo
Tênis branco, bombeta, abrigão, moletom
Fã do Isaac Hayes só curtia o que era bom

Sem fita errada conseguiu o que muitos sonhava
Parati prata, roda larga, rebaixada
Conquistou o respeito dos maluco da quebrada
Moleque sangue bom a todos considerava

Só corria pelo certo nunca deu mancada
Dava um trampo estudava pai e mãe se orgulhava
Faculdade Federal tava cursando Direito
Mas antes de se formar a pedra chegou primeiro

Deu olé mó chapéu no meu parceiro
Foi cruel fez de réu num deu boi pro guerreiro
Morreu viciado sem receber o diploma
A pedra bateu colocado meu truta beijou a lona

A pedra é mo b ó não tem pena não tem dó
Os mano fica só o pó joga pra lona sem dó

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct