Não pela carne e sim pelo Espírito
Não pelos mortos e sim pelos vivos
Não pelo mundo e sim por Cristo
Tenho um só Deus e na fé não sou misto

Na fé sou descarado e não sou camuflado
Não sou aquele que apresenta Cristo abstrato
Tô nem vendo dizem que sou ultrapassado
Pro mundo reprovado, mas por Deus aprovado

Jesus viveu por mim ofereceu o seu couro
Agora pro pecado sou ovelha pro matadouro
Não mais pro sensual, não mais pro bacanal
Tô firmão com Cristo e pro mal nem a pau

Pra mim viver é cristo e morrer é lucro
O mundão tenebroso pode chorar de luto
Pra muitos manos isso parece demais
Tô de boa, to nessa, meu coração ta em paz

O que o mundão sujou Cristo lavou com e habitou
Sou lixão que Jesus decidiu plantar uma flor
Todo dia apago o fogo do meu estopim
Importa que eu morra e Cristo viva em mim

Não consigo por mim, por mim não vai dar certo
Os meu pés vacilam e saio do caminho reto
Se procuro meus diretos eu caio no egoísmo
Se bebo um pouco termino no alcoolismo

Minha carne me leva para um alto risco
Por isso sou mais Deus do Poçam eu to arisco
Que eu diminua e que Cristo cresça
Nas minha rimas quero que Ele apareça

Se tiver que gloriar eu glorio na cruz
No meu corpo eu carrego as marcas de Jesus
Eu to ligado se eu viver por Ele, eu vivo bem
Ta confirmado a vida só Nele n’outro não tem

Louvado seja Cristo na minha vida ou na morte
Na alegria, na tristeza, nas lutas ou na sorte
No rolê, na quebra, na balada tipo assim
Não sou mais eu que vivo, mas Cristo vive em mim

O que o mundão sujou Cristo lavou com e habitou
Sou lixão que Jesus decidiu plantar uma flor
Todo dia apago o fogo do meu estopim
Importa que eu morra e Cristo viva em mim

De pé pela graça pelo sangue do cordeiro
97 eu me lembro foi eu e us parceiro
Poçam, Japão também viraram habitação
Templo construído por Jesus com sangue e humilhação

São vários que morreram pra ilusão do mundão
Sexo, droga, álcool, fim da escravidão
Saí de cena morri pra Jesus viver em mim
Vida nova, nova trilha, começo sem fim

O mundão é funil estreito ó é mil e um b ó
Reino da pedra e do pó us bico mata sem dó
Moleque entope us pente vai pra arena e faz acena
De lágrima e sangue e o diabo se alimenta

Pela a misericórdia sou uma nova criatura
Nas ruas represento a beleza e a formosura
Daquele que morreu e prometeu viver em mim
Dia a dia mato a carne e apaga o fogo do meu estopim

Carrego a minha cruz Nada apaga a minha luz
As pervas não me seduz, a erva não me conduz
O porco que foi lavado e não voltou pra lama
Carvão apagado agora eu carrego chama

Primo é sem segredo sem mistério vê só
Deus tem pra nois o melhor num quer te vê numa pio
Num sou templo de satanás, ladrão
Sou casa de Jesus sua predileta habitação

O que o mundão sujou Cristo lavou com e habitou
Sou lixão que Jesus decidiu plantar uma flor
Todo dia apago o fogo do meu estopim
Importa que eu morra e Cristo viva em mim

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct