Foi numa noite bem clara
A crescente se enchendo
E o meu peito já ardendo
De tanta canha e fumaça
Desgraçada a tal cachaça
Quase me estraviou do rumo
O meu gateado lobuno
Camperaço e pechador
Tava igualzito a um tenor
Rinchando que nem cuiúdo

E assim enforquilhado
Sai pro lado das casa
Meu gateado de anca larga
Tam bem saiu conversando
Dando guincho reclamando
Como a dizer demoraste
Coisa linda é o contraste
Quando a gente anda de fogo
Voltar cru agora do povo
E dormir solito num catre

Quando cruzei a cancela
Depois de cair uns dois tombo
Me equilibrei já no lombo
Do meu pingo orelha alerta
Quando mirei uma seta
Que do céu grande “bajo”
O gateado se alinho
E já sai com o laço armado
Com o vento no costado
Abanando o tirador

A toda pata me fui
Botando força no braço
Oigalê baita sogaço
Virou de ponta a prateada
Nisso alvorotei a eguada
Já vinham me atropelando
E eu logo fui me aplumando
Pra pealar a tal da Lua
Égua da marca charrua
Que vinha só me cuidando

Esta é a volta pras casa
Destes que vão por ai
Bebendo aqui e ali
Fazendo só gauchada
Depois de uma cachaçada
Laçando estrelas cadentes
Caindo pelas vertentes
Pealando a Lua bonita
Se agranda e do nada grita
Isto é Rio Grande minha gente

Send Translation Add to playlist Size Tab Print Correct